#NoMercado – Biologia

Postado por: geovanna

As startups de biotecnologia têm ganhado o mundo e trazido avanços importantes para o futuro da humanidade. Tais empresas surgem com a proposta de melhorar nossa alimentação, compreender o genoma humano, curar doenças e muitas outras tarefas importantes.

A biotecnologia é uma área do conhecimento que utiliza organismos vivos e sistemas biológicos buscando desenvolver novas tecnologias. Também se trata de um setor multidisciplinar, ou seja, envolve outras áreas, como genética, química, robótica e muito mais. Apesar de parecer uma ciência nova, a aplicação da ciência para melhorar o que comemos e a nossa saúde já existe há muito tempo. No decorrer das décadas, mudou o curso da humanidade e despertou discussões em torno da ética e da aceitação pública.

A startup Myleus foi formada na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e tem foco no aumento da confiabilidade dos alimentos que consumimos. Para isso, a empresa propõe uma solução com três pilares:

  • Microbiologia: para identificar microrganismos presentes, garantindo a qualidade dos processos de higiene.
  • Físico-química: para encontrar possíveis componentes estranhos ao alimento e qual é a quantidade de cada elemento.
  • DNA: para evitar fraudes como venda de queijo de cabra no lugar de queijo de vaca, por exemplo.

Os serviços oferecidos buscam facilitar os processos de “food safety” (segurança alimentar) dentro das empresas. Dessa forma, gestores podem tomar melhores decisões a fim de garantir a qualidade dos alimentos, evitando problemas com a legislação sanitária, acompanhando indicadores e protegendo a reputação da marca.

Você provavelmente já ouviu falar em células-tronco, aplicadas na medicina regenerativa e normalmente retiradas do cordão umbilical. A inovação proposta pela R-Crio, no entanto, é de tirar essas células de dentes de leite. A descoberta não é totalmente nova – desde 1960, a ciência reconhece a possibilidade de obter células regenerativas sanguíneas ou de partes do corpo. Entretanto, até agora, a atenção se voltava mais às sanguíneas, que vêm do cordão umbilical. A solução da startup de biotecnologia foi criar um serviço de armazenamento, multiplicação e criopreservação das células-tronco extraídas de dentes de leite. Assim, podem ser utilizadas para regenerar músculos, cartilagens, pele e em testes de novos medicamentos.

Conheça mais startups nesse ramo aqui!

Fonte: http://inovacaosebraeminas.com.br/startups-de-biotecnologia/